• Categorias

  • "Transbordando sentimentos puros em palavras"

    Categoria: Poesia

    HonoratoPoesia

    Olhos

    agosto 12, 2017 • Honorato, Sandro

    Olá,

    Como vão?

    Hoje vou deixar um poema recente que fiz.

    Espero que curtam 🙂

     

    Olhos

    Aqueles olhos

    Que refletiam o que eu era de melhor

    Não me tem mais reflexos

    Apenas são escuros como esta noite

     

    Aqueles olhos

    Que me faziam viajar em pensamentos

    Hoje me deixam de mãos atadas

    Sem saber para onde ir

     

    Aqueles olhos

    Que me ajudaram em cem poesias

    Hoje me tiraram as palavras

    E o dom de escrever meus romances

     

    Aqueles olhos

    Que me hipnotizaram

    Hoje me arrastam para a triste realidade

    Que é viver sem ti

     

    Aqueles olhos

    Que salvaram meus dias

    Hoje me deixam com insônia

    E com pesadelos intermináveis

     

    Aqueles olhos

    Que me enxergavam só como amigo

    Foram os olhos que me perdi

    E não sei mais me encontrar

     

    Aqueles olhos

    Que me juravam amor eterno

    Hoje são os mesmos que sem nada dizerem

    Estão me dizendo adeus

     

    Autor: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Olhos

    agosto 12, 2017 • Honorato, Sandro

    Olá,

    Como vão?

    Hoje vou deixar um poema recente que fiz.

    Espero que curtam 🙂

     

    Olhos

    Aqueles olhos

    Que refletiam o que eu era de melhor

    Não me tem mais reflexos

    Apenas são escuros como esta noite

     

    Aqueles olhos

    Que me faziam viajar em pensamentos

    Hoje me deixam de mãos atadas

    Sem saber para onde ir

     

    Aqueles olhos

    Que me ajudaram em cem poesias

    Hoje me tiraram as palavras

    E o dom de escrever meus romances

     

    Aqueles olhos

    Que me hipnotizaram

    Hoje me arrastam para a triste realidade

    Que é viver sem ti

     

    Aqueles olhos

    Que salvaram meus dias

    Hoje me deixam com insônia

    E com pesadelos intermináveis

     

    Aqueles olhos

    Que me enxergavam só como amigo

    Foram os olhos que me perdi

    E não sei mais me encontrar

     

    Aqueles olhos

    Que me juravam amor eterno

    Hoje são os mesmos que sem nada dizerem

    Estão me dizendo adeus

     

    Autor: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Olá,
    Como vão?
    Hoje vou deixar um texto que fiz para uma apresentação na faculdade.
    O objetivo era para apresentar uma palestra motivacional e criei o texto para me ajudar.
    Espero que gostem e se identifiquem.
    Abraços

    O Rocky Balboa de hoje
    O Rocky de hoje não come ovos crus no desjejum.
    Quando ele pode come um pão com manteiga e um cafezinho.
    O Rocky de hoje antes de sair de casa não enrola a bandagem no pulso.
    Ele faz a sua marmita e põe na bolsa.
    O Rocky de hoje não acorda as 5 horas para correr uns 10km em 40 minutos.
    Acorda mais cedo e pega ônibus e metrô que demoram tanto quanto aquela corrida.
    O Rocky de hoje entra no ringue todo dia.
    Pra ele não existe sábado, domingo ou feriados.
    Todo dia é dia de entrar no chicote.
    O Rocky de hoje não briga só com seu chefe.
    Seus companheiros de trabalho bem que mereciam uns socos de vez em quando.
    O Rocky de hoje não usa só a luva como instrumento de trabalho.
    Usa caneta, papel, computador e outras máquinas não
    esquecendo o mais importante: a cabeça.
    O Rocky de hoje também quer ouvir o soar do gongo.
    Ele quer bater ponto e voltar para casa.
    O Rocky de hoje quer o cinturão no fim da batalha.
    Aquele tal salário mínimo que mal o sustenta.
    Quer o abraço do filho ao chegar em casa.
    Quer o beijo do marido ou a cerveja e balada no final de semana.
    O Rocky de hoje não aparece nas telonas. Não mora na
    Philadelphia. Não!
    O verdadeiro Rocky mora em SP, no Rio, no ES…
    O verdadeiro lutador saiu da ficção e vive em cada um de
    vocês.

     

    AUTOR: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Olá,
    Como vão?
    Este poema é sobre o arrependimento. A falta de ousadia em se declarar para quem se ama.
    Ou pior: Sobre amar alguém que não demonstra o mesmo por ti.
    Espero que gostem 🙂
    Abraços e boa semana a todos.

    Sobre este conto de fadas
    Os abraços que dei sem nenhum afago
    As cartas escritas e nunca enviadas
    Os nossos Contos que não viraram de Fadas
    As vezes que não adormeci envolto em teus braços
    Os beijos roubados em que me virou o rosto inesperadamente
    As danças negadas pela minha falta de jogo de cintura
    Os problemas que enfrentei pois não pedi sua ajuda
    As baladas que te impedi de ir por ciúmes loucamente
    As noites em claro sentindo sua falta
    Os seus livros que não li por preguiça
    As vezes que me senti só estando em sua companhia
    Os dias que abracei o travesseiro guardando esta mágoa
    As mentiras que contei para não lhe machucar
    Os desejos reprimidos na nossa cama
    As frases nunca ditas por quem se ama
    Os sonhos que não posso mais realizar
    As flores que morreram porque esqueci de lhe mandar
    Os sorrisos que não mostrou pois estava chateada
    As brigas que tivemos naquela noite embriagada
    Os muitos “Eu Te Amo” que nunca irei te falar.
    AUTOR:
    HONORATO, Sandro.

     

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Vagalume

    maio 14, 2017 • Honorato, Sandro

    Olá,
    Como vão?
    Hoje vou deixar com vocês uma poesia sobre aquele amor conhecido pela pessoa amada e nada correspondido.
    Espero que vocês gostem.
    Abraços.

    Vagalume
    Você lembra de mim
    as vezes
    E eu não te tiro
    da cabeça nunca
    Você é a
    personificação das minhas poesias
    E não sabe que
    para ti as escrevo
    Você ri das piadas
    por ai contadas
    E eu sofro por não
    fazê-la sorrir
    Você brinca com
    meu coração
    E eu insisto em
    jogar teu jogo
    Você ilumina minha
    vida a noite
    E desaparece
    quando a manhã chega
    Você voa entre
    meus sonhos
    E não pousa para realiza-los
    Você é a paixão da
    minha vida
    E eu não sei dizer
    isso cara-a-cara
    Você vive da minha
    paixão
    E eu deste Amor
    Vagalume.

    AUTOR:
    HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Olá,
    Como vão?
    Hoje vou deixar uma homenagem a uma pessoa que eu aprendi a considerar com uma segunda mãe.
    Espero que goste desta poesia 🙂
    Abraços a todos.

    Laços de Sangue
    Não precisou estar em uma constelação
    Para brilhar como toda estrela
    Não precisou de vários versos
    Para terminar em poesia
    Não precisou estar perto
    Para se fazer presente
    Não precisou de palavras
    Para se facilmente compreender
    Não precisou do abraço
    Para me consolar na tristeza
    Nem precisou estar sorrindo
    Para saber que estava contente
    Não precisou ser do mesmo sangue
    Para sermos da mesa família
    Não precisou que eu chamasse de mãe
    Para que eu me considerasse seu filho.
    AUTOR: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    1 2 3 44
    instagram