• Categorias

  • "Transbordando sentimentos puros em palavras"

    Posts arquivados em: Mês: outubro 2017

    Samyle S.Textos

    Minha casa

    outubro 29, 2017 • Samyle S

    Daqui queria partir. Sonhadora, à flor da pele, achando o lugar pequeno pro seu mundo gigante. Aqui, terra das impossibilidades. Mas você se deixou ficar, devido à falta de coragem, e nada esperava além do mofo dos dias. Cá. Lar.

    Mas, menina, a vida surpreende mesmo. Agora esse lugar pequeno cabe exatamente você. E essa gente sem rosto passou a ser mais um cômodo da sua casa. Gente querida, que te faz sorrir. Você aprendeu a ver a delicadeza de cada dia assim.

    A ideia de partir, hoje tão concreta e certa, parece um delírio. É como desmembrar você. Mas calma.

    “Se eu partir

    Minha casa é o que eu sou

    Junto aqui

    Minhas asas, dores, amores, receitas de pão

    Empilho tudo assim

    Pra quando a vida bater

    Respirar fundo até transbordar em mim”

    Versos que Compomos na Estrada

    Autora: Samyle S.

    Veja também esses posts relacionados:

    Samyle S.Textos

    Minha casa

    outubro 29, 2017 • Samyle S

    Daqui queria partir. Sonhadora, à flor da pele, achando o lugar pequeno pro seu mundo gigante. Aqui, terra das impossibilidades. Mas você se deixou ficar, devido à falta de coragem, e nada esperava além do mofo dos dias. Cá. Lar.

    Mas, menina, a vida surpreende mesmo. Agora esse lugar pequeno cabe exatamente você. E essa gente sem rosto passou a ser mais um cômodo da sua casa. Gente querida, que te faz sorrir. Você aprendeu a ver a delicadeza de cada dia assim.

    A ideia de partir, hoje tão concreta e certa, parece um delírio. É como desmembrar você. Mas calma.

    “Se eu partir

    Minha casa é o que eu sou

    Junto aqui

    Minhas asas, dores, amores, receitas de pão

    Empilho tudo assim

    Pra quando a vida bater

    Respirar fundo até transbordar em mim”

    Versos que Compomos na Estrada

    Autora: Samyle S.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Circo

    outubro 20, 2017 • Honorato, Sandro

    Olá,  como vão?

    Hoje vou postar uma poesia que fiz há algum tempo. Mas por incrível que pareça, a “musa” inspiradora não mudou.

    Circo

    Sabe Amor,

    Você foi capaz de me domar

    Eu seguia todos seus pedidos e assim acabei me perdendo

    Sabe Amor,

    Poetas são como ilusionistas

    Se escondem atrás da magia mas seus segredos são de fácil acesso

    Sabe Amor,

    Está difícil manter este sentimento cigano

    Você me ama? Você o ama? Você alguma vez já amou?

    Sabe Amor,

    Às vezes você não acha graça nesta vida de montanha russa

    De manhã nós brigávamos e a noite nos reconciliávamos na cama

    Sabe Amor,

    Vejo que outro a tem em teus braços e desejo-lhe felicidade

    Sei que não sou o amor da sua vida, mas você foi o meu

    Sabe Amor,

    Cansei de ser o Palhaço nesta história

    Te fiz sorrir e no fundo eu sofria neste nosso Circo.

    AUTOR: HONORATO,Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Bem-Te-Vi

    outubro 07, 2017 • Honorato, Sandro

    Bem-te-vi

    Te vi beijando outros lábios

    Ansioso por aquele teu beijo

    Te vi em ondas do mar

    Lavando toda tristeza aqui dentro

    Te vi em minhas poesias

    Personificando a minha deusa

    Te vi no céu a noite

    Observando o brilho das estrelas

    Te vi em outros braços

    Querendo lhe aconchegar

    Te vi fazendo juras de amor

    Mas somente eu sabia como te amar

    Te vi sorrindo

    E eu queria ser tua alegria

    Te vi fazendo planos para o futuro

    E eu mal cuidava da minha vida

    Te vi em sonhos

    Delirando com a realidade

    Ah, eu te vi ir embora

    E eu não sei lidar com esta saudade.

    AUTOR: HONORATO, Sandro.

     

    Veja também esses posts relacionados:

    Samyle S.Textos

    Tutorial: como não ser um babaca

    outubro 01, 2017 • Samyle S

     

    Você está a fim dela. Moça bonita, simpática, gente fina. Excessivamente tímida, coitada. Um tanto difícil também, você sabe que precisa conquistá-la. Um bom papo, gentilezas aqui e acolá.  Para demonstrar interesse, você sempre a toca: ombros, mãos, braço. Ela, acanhada, sorri de leve. Incentivo suficiente.

    Uma abertura pequena à vista, você passa a mão. Costas, cintura, dissimuladamente perto do seio. E não é só uma mão, é aquela mão. Com desejo. Você faz isso, é claro, em um local público. É só uma demonstração de carinho, afinal. Inofensiva.

    Veja bem, o óbvio precisa ser dito: o corpo dela não é público. Ninguém tem o direito de passar a mão em alguém sem expresso consentimento. E sorrisos, especialmente vindo de gente que não demonstra interesse, raramente significam “sim”. Para não correr o risco de ser agressivo com seus “carinhos”, é bem fácil. Convida a menina para ir ao cinema.  Ou vai me dizer que você tem coragem de passar a mão no corpo dela, mas não consegue fazer um simples convite?

    Se a resposta for sim, talvez a questão não seja falta de coragem. Talvez seja bem mais fácil se aproveitar dela assim, disfarçadamente, no meio de várias pessoas, para deixá-la envergonhada em dizer que seu carinho, na verdade, incomoda. Porque, afinal, ela não quer fazer escândalo. Quem vai querer chamar a atenção geral quando já se está sentindo vulnerável, não é mesmo?

    Então, agora que você está ciente disso, bora combinar: chama a menina pra sair. Pede permissão. Do contrário, é violência, não carinho.

     

    Autora: Samyle S.

    Veja também esses posts relacionados:

    instagram