• Categorias

  • "Transbordando sentimentos puros em palavras"

    Posts arquivados em: Mês: novembro 2013

    OutrosResenha

    Olá,
    Como vão?
    Hoje vou postar a resenha do livro que li mais recentemente.
    Espero que curtam 🙂

    O Ritual – Jéssica Anitelli
    Dados do Livro:

    Edição: 1
    Editora: Dracaena
    ISBN: 0
    Ano: 2013
    Páginas: 380

    Quem não leu o post sobre o primeiro livro – “O Punhal” veja neste link:
    http://www.rimasdopreto.com/2012/09/o-preto-resenha-o-punhal.html

    Sinopse: 
       Será mesmo certo um humano conviver tão próximo ao seu maior predador? Júlia pensava que seu amor por Diogo era maior que tudo e que a partir daquele momento as coisas se ajeitariam e eles, finalmente, poderiam ficar juntos. Será mesmo? O Conselho dos vampiros não deixará a pobre garota em paz, pois ela carrega consigo a maior arma de eliminação da sua espécie. E se não bastasse essa perseguição que a deixa transtornada, há também Marta, que continuará a mexer com as emoções do jovem vampiro de olhos verdes e da menina ruiva. Observando tudo de cima está Henrique, que não abandonará o corpo de seu parente até que o ritual seja realizado e assim possa voltar ao que era há mais de 100 anos. Mas até que isso aconteça, este vampiro que não possui dentro de si nada de humano, causará conflitos e dores. O segundo livro da série promete arrebatar o leitor do começo ao fim e levá-lo a manifestar sentimentos dos mais variados.

    Minha Resenha:

    A estória continua de onde parou “O Punhal”: Diogo vivendo seu dilema amoroso e ao mesmo tempo ele tem que proteger Julia e seu futuro filho. Augusto, que transformou Diogo,faz o possível e o impossível para manter Diogo e sua família e sua reputação em Leme limpa para assim poder realizar o aguardado ritual e trazer “ a vida” Henrique.
    E bom, é ai que as coisas no livro ficam ainda melhores, pois os membros do conselho vão a Leme para tentar impedir os planos de Augusto, ou seja, o livro tem ação e lutas bem intensas!
    Sobre a estória em si, gostei do personagem Pablo. O cara tem uma linguagem bem jovem, atitudes às vezes imaturas e tal, o que me fez lembrar de mim mesmo.
    Julia começa a ganhar maior destaque uma vez que carrega o principal para o Ritual.
    Eu,pessoalmente,não gostava muito dela pelas suas “inconstância” emocional e passei a odiar depois de uma atitude dela ( só não conto pra não estragar o suspense de quem ainda não leu mas já falei com a Jéssica A. sobre isso u.u kkkk)
    A capa achei bacana, mas humildemente falando acho que ficou bem simples para um livro foda! muito bom.
    A revisão também achei que fez um bom trabalho visto que não encontrei erros de ortografia.
    Sei que o livro é sobre vampiros e alguns já vão criar um “pré-conceito” sobre a história mas não se deixem iludir por “Crepúsculo” ou qualquer outra coisa assim! Leiam se tiver a oportunidade e perceberão as diferenças


    SOBRE A AUTORA:
       Jéssica Anitelli nasceu na cidade de Leme/SP em 1990. Atualmente mora em Guarulhos/SP e cursa Letras pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).
    Desde criança é apaixonada por livros da temática fantástica e a primeira coisa que fez quando completou 14 anos foi abrir uma ficha na biblioteca municipal de Leme. Além dos livros, tem uma paixão incondicional por animes, mangás e música oriental.
    Escreve desde os 17 anos quando deu início aos primeiros capítulos do seu livro de estreia no mundo literário, O Punhal. 
    Além dos vampiros, Jéssica descobriu um gosto pelo erótico e é autora dos livros Volúpia e Notas de Luxúria. Há inúmeras narrativas em sua mente, que irão do terror ao fantástico. Livros ainda sem nome, mas que estão ansiosos para começarem a ser escritos.

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosResenha

    Olá,
    Como vão?
    Hoje vou postar a resenha do livro que li mais recentemente.
    Espero que curtam 🙂

    O Ritual – Jéssica Anitelli
    Dados do Livro:

    Edição: 1
    Editora: Dracaena
    ISBN: 0
    Ano: 2013
    Páginas: 380

    Quem não leu o post sobre o primeiro livro – “O Punhal” veja neste link:
    http://www.rimasdopreto.com/2012/09/o-preto-resenha-o-punhal.html

    Sinopse: 
       Será mesmo certo um humano conviver tão próximo ao seu maior predador? Júlia pensava que seu amor por Diogo era maior que tudo e que a partir daquele momento as coisas se ajeitariam e eles, finalmente, poderiam ficar juntos. Será mesmo? O Conselho dos vampiros não deixará a pobre garota em paz, pois ela carrega consigo a maior arma de eliminação da sua espécie. E se não bastasse essa perseguição que a deixa transtornada, há também Marta, que continuará a mexer com as emoções do jovem vampiro de olhos verdes e da menina ruiva. Observando tudo de cima está Henrique, que não abandonará o corpo de seu parente até que o ritual seja realizado e assim possa voltar ao que era há mais de 100 anos. Mas até que isso aconteça, este vampiro que não possui dentro de si nada de humano, causará conflitos e dores. O segundo livro da série promete arrebatar o leitor do começo ao fim e levá-lo a manifestar sentimentos dos mais variados.

    Minha Resenha:

    A estória continua de onde parou “O Punhal”: Diogo vivendo seu dilema amoroso e ao mesmo tempo ele tem que proteger Julia e seu futuro filho. Augusto, que transformou Diogo,faz o possível e o impossível para manter Diogo e sua família e sua reputação em Leme limpa para assim poder realizar o aguardado ritual e trazer “ a vida” Henrique.
    E bom, é ai que as coisas no livro ficam ainda melhores, pois os membros do conselho vão a Leme para tentar impedir os planos de Augusto, ou seja, o livro tem ação e lutas bem intensas!
    Sobre a estória em si, gostei do personagem Pablo. O cara tem uma linguagem bem jovem, atitudes às vezes imaturas e tal, o que me fez lembrar de mim mesmo.
    Julia começa a ganhar maior destaque uma vez que carrega o principal para o Ritual.
    Eu,pessoalmente,não gostava muito dela pelas suas “inconstância” emocional e passei a odiar depois de uma atitude dela ( só não conto pra não estragar o suspense de quem ainda não leu mas já falei com a Jéssica A. sobre isso u.u kkkk)
    A capa achei bacana, mas humildemente falando acho que ficou bem simples para um livro foda! muito bom.
    A revisão também achei que fez um bom trabalho visto que não encontrei erros de ortografia.
    Sei que o livro é sobre vampiros e alguns já vão criar um “pré-conceito” sobre a história mas não se deixem iludir por “Crepúsculo” ou qualquer outra coisa assim! Leiam se tiver a oportunidade e perceberão as diferenças


    SOBRE A AUTORA:
       Jéssica Anitelli nasceu na cidade de Leme/SP em 1990. Atualmente mora em Guarulhos/SP e cursa Letras pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).
    Desde criança é apaixonada por livros da temática fantástica e a primeira coisa que fez quando completou 14 anos foi abrir uma ficha na biblioteca municipal de Leme. Além dos livros, tem uma paixão incondicional por animes, mangás e música oriental.
    Escreve desde os 17 anos quando deu início aos primeiros capítulos do seu livro de estreia no mundo literário, O Punhal. 
    Além dos vampiros, Jéssica descobriu um gosto pelo erótico e é autora dos livros Volúpia e Notas de Luxúria. Há inúmeras narrativas em sua mente, que irão do terror ao fantástico. Livros ainda sem nome, mas que estão ansiosos para começarem a ser escritos.

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosOutros AutoresTextos

    Falling

    novembro 18, 2013 • Honorato, Sandro

    E é esse o momento.

    Aquele instante de silêncio nada tranquilo no qual tudo já foi dito e feito.

    E não podemos simplesmente saltar e capturar no ar as palavras já ditas e mantê-las firmemente em nossas mãos fechadas para proteger o outro do mal que elas já fizeram.
    Não podemos recolher do caminho todos os sinais errados, todas as rachaduras que causamos, nem todas as fendas que provocamos em tudo aquilo que formava esse “Nós”.

    Eu sei, você sabe… não podemos obrigar o tempo a nos levar de volta há uma época mais simples e mais feliz.

    Talvez, apenas talvez, não tenhamos mesmo feito tudo o que podíamos. Talvez um de nós tenha desistido antes do outro e, sem avisar, assistiu resignado enquanto o outro tentava manter sozinho nos ombros um mundo que tinha o peso ideal para ser erguido por dois.

    Esse alguém não aguentou… e o céu está caindo.

    E eu queria que fosse na forma de chuva ou neve… e não nesse formato de peças de quebra-cabeça que foram montadas errado.
    Tiro meus olhos do nosso céu despedaçando que uma vez fora tranquilo e encontro você. E sei que está na hora de profundamente beijar você e então partir, não me limitando a tirar os resquícios de você apenas dos meus lábios.
    E você nem me diz adeus, porque sabe. Sabe que histórias como a nossa não morrem; ecoam pela eternidade por ai.

    Romeu e Julieta comprovaram há muito tempo que o amor que é lembrado, não é só aquele que tem final feliz.

    Veja também esses posts relacionados:

    MúsicaOutros

    Música da Semana #99

    novembro 13, 2013 • Honorato, Sandro

    Olá,
    Como vão?
    Hoje vou postar uma música de um cara que eu admiro muito….Frejat 🙂
    Espero que curtam o post de hoje 🙂
    Abraços

    Frejat –
    Amor Pra Recomeçar
    Eu te desejo
    Não parar tão cedo
    Pois toda idade tem
    Prazer e medo
    E com os que erram
    Feio e bastante
    Que você consiga
    Ser tolerante
    Quando você ficar triste
    Que seja por um dia
    E não o ano inteiro
    E que você descubra
    Que rir é bom
    Mas que rir de tudo
    É desespero
    Desejo
    Que você tenha a quem amar
    E quando estiver bem cansado
    Ainda exista amor
    Pra recomeçar
    Pra recomeçar
    Eu te desejo muitos amigos
    Mas que em um
    Você possa confiar
    E que tenha até
    Inimigos
    Pra você não deixar
    De duvidar
    Quando você ficar triste
    Que seja por um dia
    E não o ano inteiro
    E que você descubra
    Que rir é bom
    Mas que rir de tudo
    É desespero
    Desejo
    Que você tenha a quem amar
    E quando estiver bem cansado
    Ainda exista amor
    Pra recomeçar
    Pra recomeçar
    Eu desejo
    Que você ganhe dinheiro
    Pois é preciso
    Viver também
    E que você diga a ele
    Pelo menos uma vez
    Quem é mesmo
    O dono de quem
    Desejo
    Que você tenha a quem amar
    E quando estiver bem cansado
    Ainda exista amor
    Pra recomeçar
    Eu desejo
    Que você tenha a quem amar
    E quando estiver bem cansado
    Ainda, exista amor
    Pra recomeçar
    Pra recomeçar
    Pra recomeçar

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosPoesia

    Aprisionado

    novembro 11, 2013 • Honorato, Sandro

    Olá 🙂
    Como vão?
    Hoje vou postar um poema que fiz a um certo tempo.
    Abraços e tenham uma excelente semana

    Aprisionado
    Hoje estou
    sozinho
    Sozinho e
    sentindo sua falta
    Sozinho
    recordando nossos momentos
    Sozinho com
    essa dor que me mata
    Hoje estou
    chorando
    Chorando vendo
    nossas fotografias
    Chorando
    lembrando nossos velhos tempos
    Chorando
    escrevendo essa poesia
    Hoje estou
    desacreditado
    Desacreditado,
    pois sem você não sei quem eu sou
    Desacreditado,
    pois sem você perco o rumo
    Desacreditado,
    pois sem você não existe “amor”
    Hoje estou
    aprisionado
    Preso e sei que
    não tenho salvação
    Preso e sem
    poder sonhar com dias melhores
    Preso e com
    este inútil coração.
    AUTOR: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosOutros AutoresTextos
    Eeeeeei, post novo! Espero que gostem muchachos. Bom começo de semana pra vocês. Beijitooos ♥

    Já paro pra pensar, que ás vezes, o que você quer, não é o que Deus quer pra você? Pois eu, quase não penso nisso. Saíu por aí, fazendo lista de coisas que eu quero fazer, planos para o futuro, mil desejos. E no topo da lista, nunca está escrito; “Se for da vontade de Deus”, eu sempre esqueço de colocar Deus na frente, esqueço de perguntar á ele, se é isso mesmo que ele quer pra minha vida, se eu vou pra direita ou pra esquerda. Se é com o ”B” que eu vou casar, ou com o “A” que vou ser mais feliz. Esqueço de perguntar se fazer faculdade de psicologia, é o que ele realmente quer pra mim, ou se ser escritora que garantirá o meu futuro. Eu esqueço e excluo ele da minha vida, sem perceber, mas ele nunca me esqueceu e quer o melhor pra mim, por isso qualquer decisão, mesmo sendo boba, se não for colocada em primeiro lugar, nas mãos de Deus, então será uma decisão errada, um futuro perdido, um desejo ao vento. 

    Autoria: Louise Berdine

    Veja também esses posts relacionados:

    instagram