• Categorias

  • "Transbordando sentimentos puros em palavras"

    OutrosOutros AutoresTextos

    Linhas e Letras

    outubro 21, 2013 • Honorato, Sandro

    Hey, o/

    Mais um texto meu por aqui,  e – como eu percebi o quanto tenho sido rude por só postar sem deixar um recadinho dizendo o quanto tenho amado os comentários de vocês em meus textos anteriores… *-* rs’ – espero sinceramente que estejam gostando 😉

    Dayane.
    ~*~

     

    E você está sempre por aqui com esse olhar… esse olhar de quem
    adoraria saber o que deve me dizer pra consertar tudo. Como se houvesse
    uma palavra mágica escondida no universo que só eu conheço e que seria
    capaz de apagar tudo de ruim que possa ter acontecido.

    Mas,
    como você ainda não percebeu que estou tão perdida quanto você? Tanto
    que sequer sei o que quero ouvir, muito menos o que quero dizer.
    Eu
    poderia descrever pra você meus sentimentos, mas eles estão ainda mais
    embaralhados que meus pensamentos então também não seriam de grande
    ajuda.
    Poderia te pedir poesia, te pedir frases feitas… poderia te pedir pra repetir palavras que já foram ditas milhares de vezes por pessoas apaixonadas ao redor do mundo.

    Mas, no fim não faria diferença.

    Porque
    as palavras precisam ser suas e precisam ser verdadeiras. Você tem que
    saber que já saltei uma vez de um precipício com você… e você soltou
    minha mão no meio da queda. Então não pode me culpar por ser tão
    cautelosa e sempre deslizar minha mão pra fora do seu aperto quando
    percebo que estou me acostumando com sua proteção novamente.

    Talvez eu nunca tenha de fato te dito como me sinto… talvez eu nunca diga.
    Mas,
    se você prestasse atenção suficiente saberia que me mostro do avesso
    quando escrevo… e que, se você procurar bem, vai encontrar todas as
    respostas, todos os sentimentos exposto assim em linhas e letras. Em
    lágrimas e perdas.

    Que essa sou eu verdadeiramente escondida em palavras afiadas e suaves, em sussurros e gritos… escrevendo cartas e mais cartas sem destinatário na esperança que, de alguma maneira, você as receba.
    Se por uma jogada do universo, se por fé, não sei.

    Sem saber exatamente se de fato quero que essas palavras te encontrem.
    Sem saber se sinto alívio ou dor quando você não me vê através delas.

    Porque continuo aqui, atrás dessa bagunça poética, esperando você ver que nesses destroços há muito de você.
    Há muito de mim.

    E que, mesmo que nós dois nunca tenhamos conseguido dar um nome ao que temos, é bonito.
    É bom e certo… como poucas coisas tem sido.

    Veja também esses posts relacionados:

    Comente com o Facebook

    Deixe seu comentário

    3 Comentários

  • Suzanna Rani
    23 out 2013

    Que texto lindo, Dayane!
    "Porque continuo aqui, atrás dessa bagunça poética, esperando você ver que nesses destroços há muito de você."
    Beijos!

  • camila
    22 out 2013

    Lindo Texto Dayane, me fez refletir e relembrar o passado ^^

    Beijos Mila
    Resenha nova no Daily ^^
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/2013/10/resenha-perdida.html

  • Camila
    21 out 2013

    Boa noite 😀

    Adorei seu texto, Dayane *w* Você escreve muito bem =) Espero que tudo se ajeite e que consiga resolver tudo isso ><

    E, Sandro, lembra quando você me pediu que eu te avisasse caso eu atualizasse o meu blog? Tem novo posto lá ^^

    Bjs…

    mila-vb.blogspot.com

  • instagram
    Translate »