• Categorias

  • "Transbordando sentimentos puros em palavras"

    Categoria: Outros Autores

    OutrosOutros AutoresTextos

    Olá gente bonita !
    Eu estava morrendo de saudades de postar aqui no Rimas.. Mas chega de leru, leru. Tem texto novinho em folha, espero que vocês gostem muchachos. Gostaria muito de sugestões para textos novos ok? Bom, é isso beijitos beijitos e boa leitura ♥ 

    Apaguei seu número do meu celular, esvaziei o armário e joguei
    as tuas roupas pela janela. Pode gritar, xingar e me chamar de louca, fato que
    eu sou mesmo, afinal depois de tudo que eu passei por você, ser louca não é tão
    ruim. No primeiro dia eu chorei, berrei, chorei, quis morrer e chorei. Segundo
    dia, chorei. Terceiro dia, ainda não conseguia sair da cama, mas o choro
    diminuiu. Quarto dia eu já não chorava. Quinto dia e eu levantei da cama, tirei
    a maquiagem borrada da cara e li um livro. Sexto dia, virei a página. “Em seis dias
    Deus fez o mundo e eu refiz o meu.”
    Autora: Louise Berdine

    Veja também esses posts relacionados:

    Outros AutoresTextos

    BOA NOITE, PESSOAL!
    Hoje estou chegando um pouco mais tarde. Mas trago uma ótima matéria sobre o anime Death Note e as mensagens subliminares contidas nele!

    A simbologia por trás de Death Note

    Tenho a certeza que todos os fãs de Death Note já se aperceberam do grande relevo que esta obra dá à simbologia, principalmente cristã. Tal para mim não era óbvio no início, contudo, às tantas, comecei a dar-me conta da enorme carga de símbolos presente no anime (não li a manga, mas como sei que a história não difere em quase nada – talvez a manga tenha poucos pormenores a mais que o anime – arrisco-me a dizer que o mesmo se passa na banda desenhada). Pensei, reflecti e pesquisei no “Dicionário dos Símbolos”, de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant, cujas transcrições estão marcadas com um asterisco, e, com a ajuda dos meus irmãos e do meu amigo João, tirei conclusões, que passo a apresentar de seguida, acompanhadas de imagens da série.

    É fundamental frisar que, apesar de parte deste registo corresponder ao que é explicitamente mostrado em Death Note, algumas destas anotações são probabilidades/hipóteses ou pontos de vista pessoais.

    – Rosa – Segundo abertura (What’s Up People?!) – A rosa é, na iconografia cristã (…) o cálice que recolhe o sangue de Cristo (…)*

    Misa aparece deitada sobre rosas, misturando-se com elas; ela é o suporte de Light e, sem a sua colaboração, ele não poderia atingir os seus objectivos tão facilmente. Entenda-se aqui que Light é o deus do novo mundo (Deus na Terra = Cristo). Deste modo, Misa recolhe o sangue de Light (ela sente na pele as consequências das ambições dele, embora tenha admitido que a única maneira de estar feliz era a seu lado, fazendo tudo o que estivesse ao seu alcance para o fazer feliz também);

    – Rosa azul – Segunda abertura (What’s Up People?!) – Uma rosa azul seria o símbolo do impossível.*

    É impossível para Light ser Cristo/Deus na Terra – não só é pecador, como possui um poder limitado quando utiliza o Death Note (atributos que são negados a uma entidade superior) – tal como o é a sua ambição (o facto de alguma vez poder construir um mundo perfeito);

    – Número 13 – Episódio 25 – Aparece quando se faz referência à regra falsa do Death Note, inventada por Ryuk: Se o dono do Death Note não matar dentro de 13 dias, depois ter lá escrito o nome de alguém, ele morre; Episódio 37 – Enquanto procuram por Light, Matsuda, Aizawa, Ide e Mogi reúnem-se ao pé do armazém nº 13 – Desde a antiguidade que o número 13 tem sido considerado como de mau agoiro. (…) Na última refeição de Cristo com os seus apóstolos, a Última Ceia, os presentes eram treze. A Cabala enumerava 13 espíritos do mal. O 13º capítulo do Apocalipse é o do Anticristo e da Besta. (…) De uma forma geral, este número corresponde a um recomeço, com este matiz pejorativo de que se trata mais de refazer qualquer coisa do que de renascer.*

    No episódio 25 e 37, o número 13, cuja significação é atribuída ao mau agoiro e à morte (lembre-se que a carta de Tarot A Morte é o décimo terceiro Arcano Maior), surge pouco tempo antes de L falecer (ele já tinha ficado intrigado com esta regra do Death Note) e de Light morrer, respectivamente. Além disso, apesar de Light se considerar o deus do novo mundo, ele, no fundo, acaba por se revelar um Anticristo, pois trata-se de alguém que se opõe a Jesus Cristo em relação ao modo como faz o Bem e que, segundo a tradição Cristã, dominará o mundo nos últimos dias, antes que Cristo regresse pela segunda vez. Pode dizer-se que, em Death Note, o número 13 corresponde a um recomeço, que se trata mais de refazer qualquer coisa do que de renascer pois, logo após a morte do L, Light, ressuscitado, volta a agir em liberdade, como Kira, e, assim que Light morre, pressupõe-se não um surgimento de um novo mundo, mas sim uma reconstrucção do mesmo, isto é, uma mudança gradual, no sentido de se viver sem Kira;

    – Corvo – Primeiro encerramento (Alumina) e segunda abertura (What’s Up. People?!) – Parece concluir-se de um estudo comparativo de costumes e crenças de numerosos povos que o simbolismo do corvo só recentemente adquiriu o seu aspecto puramente negativo (…) É considerado, com efeito, nos sonhos, como uma figura de mau agoiro, ligado ao medo da infelicidade. (…) no Japão, ele é (…) um mensageiro divino (…) Símbolo da perspicácia, no «Génesis» (8,7), é ele que vai verificar se a terra começa, após o dilúvio, a reaparecer por cima das águas (…) na Grécia (…) acreditava-se que eram dotados de poder de conjurar a má sorte. O corvo aparece muitas vezes nas lendas célticas onde desempenha um papel profético. (…) Ele seria também um símbolo da solidão, ou melhor, do isolamento voluntário daquele que decidiu viver num plano superior. (…) guia das almas na sua última viagem, pois, sendo psicopompo, ele penetra, sem se perder, o segredo das trevas.*

    Remetendo a simbologia do corvo para Death Note, a sua ligação à infelicidade e ao poder de trazer má sorte poderá estar relacionada com o aviso que Ryuk fez a Light assim que este começou a aperceber-se do poder que tinha nas mãos: para aquele que utilizasse o “Death Note”, só podia ser esperado um final trágico. Ainda assim, Light comporta-se, de facto, como um mensageiro divino (alguém enviado por Deus para fazer Justiça), dotado de grande perspicácia (ele, afinal, é um génio), que vive num plano superior, a que só ele pertence (tem mais poder que todos os que estão à sua volta, decidindo, assim, qual o seu destino). Esta ideia de possuir um poder divino e superior é transmitida por imagens da Zetsubou Billy: ele passa pelos automóveis sem sofrer qualquer dano e caminha numa direcção oposta à de todas as pessoas;

    – Maçã – Aberturas (The World e What’s Up, People?!), primeiro encerramento (Alumina) e ao longo da série – Trata-se (…) duma forma de conhecimento, mas que é ora o fruto da Árvore da Vida, ora o da árvore da Ciência do bem e do mal: conhecimento unificador que confere a imortalidade, ou conhecimento separador, que provoca a «queda». (…) «comer a maçã significa (…) abusar da sua inteligência para conhecer o mal, da sua sensibilidade para o desejar, da sua liberdade para o fazer.(…)»*

    A imagem da maçã, aparecida tantas vezes, ilustra a grandiosidade da sabedoria de Light que, mal utilizada, traz consequências irreversíveis (mais uma vez, alusão ao seu final trágico – a sua morte). Ao ser dono do Death Note, acede ao conhecimento separador, que provoca a «queda»). Light trinca a maçã em The World, ou seja, abusa da sua inteligência para conhecer o mal, da sua sensibilidade para o desejar (em vez de se restringir à eliminação daqueles que causam o caos e a desordem, deseja suprimir também os que se lhe opõem, dado que são pessoas que negam a existência de Kira como deus), da sua liberdade para o fazer (liberdade construída com base em esquemas mentais que é capaz de elaborar graças à inteligência que tem e que lhe permitem escapar aos golpes dos inimigos). Contudo, durante a série, Light oferece as maçãs a Ryuk, que as come – o Shinigami conhece, deseja e faz o mal, só que de uma forma mais discreta do que Light, isto é, divertindo-se com a tragédia que tem o seu início assim que Light se assume como dono do Death Note.

    A cena de Light a estender uma maçã a Ryuk, em The World, pode ser associada à famosa pintura de Miguel Ângelo, A Criação Do Homem, que se encontra representada na abóbada da Capela Sistina, em Roma. Em Death Note, pode dar-se outro significado: Ryuk, o Shinigami, encontra-se por cima de Light, representando o papel de Deus, pois Ryuk criou Kira, que é Light. Na sua mão, encontra-se uma maçã, provavelmente um símbolo de oferenda por parte de Light por Ryuk o ter transformado num deus;

    – Cruz – Primeira e segunda aberturas (The World e What’s Up, People?!, respectivamente) e segundo encerramento (Zetsubou Billy) – A cruz possui também o valor dum símbolo ascensional. (…) A tradição cristã enriqueceu prodigiosamente o simbolismo da cruz, condensando nesta imagem a história da salvação e da paixão do Salvador. A cruz simboliza o Crucificado, o Cristo, o Salvador, o Verbo, a segunda pessoa da Trindade.*

    Light ascende cada vez mais, deduzindo-se que a sua queda será bastante grande, o que acaba por se confirmar (em Zetsubou Billy, Light está a subir num elevador, até que, no final da música, aparece como que derrotado, entendido no chão, num estado de choque/aflição). Ele é o crucificado (arrisca a sua segurança, e até a vida, pelo Bem no mundo), o cristo (deus na Terra, como já foi referido anteriormente) e o salvador (o indicado para fazer Justiça e construir um mundo melhor);

    Imagem da The World:

    – Sinos (som dos) – Episódio 25 – L, durante o episódio inteiro, diz que ouve o barulho dos sinos – (…) o Cânone budista pali compara as «vozes» divinas com o «som de um sino de ouro». (…) Mas o barulho dos sinos (…) tem universalmente um poder de exorcismo e de purificação: afasta as más influências, ou pelo menos avisa da sua aproximação. (…) A campainha (…) simboliza o chamamento divino, em todo o caso uma comunicação entre o céu e a terra. (…) o sino tem também o poder de entrar em relação com o mundo subterrâneo.*

    Após ouvir o som dos sinos durante algum tempo, L morre. A ligação entre este barulho e a aproximação da morte é algo que muitas vezes é demonstrado em anime (como, por exemplo, em Shinigami no Ballad);

    – Lua cheia – Primeira abertura (The World) e ao longo da série – Antes de mais nada, convém lembrar que a lua influencia fortemente o ser humano. Passando do geral para o concreto, a lua cheia (ou seja, quando está totalmente radiante e cheia de luz) simboliza a realização dos projectos (surge, muitas vezes, quando Light triunfa numa determinada situação).

    Curiosa é a última imagem da lua na série: em vez de aparecer cheia, está no quarto minguante, o que pode significar que a era de Kira acabou, que os seus planos terminaram;

    – Naomi com Raye Penber nos braços – Primeira abertura (The World) – Imagem alusiva à Pietá de Miguel Ângelo;

    – Traição – Na Bíblia, Judas trai Jesus e, por causa disso, Ele acaba por ser Crucificado. Este facto pode ser comparado a Death Note, na medida em que é devido à traição de Mikami (o facto de ter matado Takada sem ordens para isso) que Near acaba por descobrir o verdadeiro Death Note e, assim, ficar por cima de Light;

    – Portões dourados – Segundo encerramento (Zetsubou Billy) – Podem ser vistos como os Portões para o Paraíso porque ser deus é o principal objectivo de Light;

    – L limpa os pés a Light – Episódio 25 – A cerimónia do lava pés, contada na Bíblia, tem lugar antes da Última Ceia, e é quando Jesus lava os pés aos seus discípulos, como sinal de humildade e de honra para com eles. Em Death Note, L limpa os pés a Light, pouco tempo antes da sua morte: apesar de aqui o papel de Cristo ser desempenhado por L, tal não é inconveniente, pois, ao agir assim perante Light, L mostra respeito e admiração por alguém que ele, no fundo, admite ser superior a ele.

    Antes de finalizar, gostaria de dar a entender que todas as palavras que citei ao longo do post têm uma simbologia muito mais abrangente do que a indicada. O que se coloca aqui em questão é o facto de não fazer sentido indicar significações que não estivessem de acordo com a possível finalidade em Death Note de mostrar e fazer referência a determinados símbolos.

    Galera, como fica melhor explicado se a gente ver as imagens, aqui está o link da matéria original: http://nippon-anima.blogspot.com.br/2012/02/simbologia-por-tras-de-death-note.html

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosOutros AutoresTextos

    Bom dia, hoje vim com esse post sobre um assunto tabu na sociedade!

    Masturbação (o hentai nosso de cada dia)


    Vamos falar a verdade: a masturbação é ainda hoje vista como um tabu, objeto de piadas e envolta em mitos… 
    Decidi então, tocar (olhem as piadinhas!) no assunto e fazer esse post sobre. Afinal, falamos aqui de mangás e animes, mas também da interação social entre nós, leitores e as obras que lemos e vemos; não esquecendo também que é sempre bom falar sobre sexualidade, independente da idade.
    Não é segredo pra ninguém o fato de que os maiores acessos na internet serem sobre pornografia, e o sucesso enorme que o gênero hentai faz sobre boa parcela do público otaku, tanto jovens quanto adultos, homens e mulheres.

    Tabu, ou necessidade biológica?
    A masturbação se inicia quando nos percebemos no mundo. Ao começarmos a observar o entorno, percebemos também a nos mesmos. Explorar proporciona prazer. Ao começar a exploração do próprio corpo, aprendemos a nos conhecer e aprimorar os sentidos do prazer. 100% dos homens entrevistados, relatam ter começado a se masturbarem antes dos 13 anos de idade e mantêm a atividade normalmente até a vida adulta mesmo depois de casados. Do ponto de vista biológico, a masturbação é natural, até os animais se masturbam.

    É importante saber que não existe nada de verdadeiro nos mitos de que a masturbação possa ocasionar doenças físicas, dor de cabeça, ou que venha a causar miopia, pelo na mão, espinhas, loucura… Essas histórias de doença, sujeira e pecado começaram há muito tempo atrás, lá em Israel séculos antes de o Cristo chegar. Naquela época, Israel era um povo que necessitava fortalecer fronteiras, pois estavam em meio a povos politeístas que adoravam Deusas e Deuses altamente sexuados, e eles eram monoteístas, adoravam um Deus único, macho, e tinham a crença na origem do mundo como sendo fruto de um sopro divino.

    Nessa época, a sexualidade deixou de ser vivida como algo sagrado e todas as práticas sexuais que não propiciassem a procriação passaram a ser reprimidas e passíveis de punição.
    Aí começa uma grande repressão às práticas homossexuais e à masturbação. Ainda hoje encontramos uma série de mitos que muitas pessoas, apesar das descobertas científicas, ainda tendem a acreditar ou a temer que possam ser verdadeiras. Aqui vão elas:

    Oito mitos sobre a masturbação –

    1ª) Pessoas casadas não se masturbam
    2ª) Você pode ficar viciado na masturbação
    3ª) Pessoas idosas não se masturbam
    4ª) Masturbação é um sinal de homossexualidade
    5ª) Masturbação é para pessoas que não tem parceiros
    6ª) Excesso de masturbação faz com que o homem fique com falta de esperma
    7ª) Masturbação é sinal de doença emocional
    8ª) Masturbação é sinal de que a pessoa é incapaz de manter relações sexuais

    Como podemos ver, a masturbação é sempre muito carregada de culpa e medo. Mas essa prática pode ser muito benéfica ao corpo, ao prazer e à própria sexualidade das pessoas.

    A masturbação é uma fonte de prazer que não oferece mal à saúde física. Uma pequisa revela que a ejaculação serve como um mecanismo de limpeza dos vasos reprodutivos e desobstrução dos vasos por onde o sêmen passa. Ao se masturbar e ejacular, os homens estão limpando o caminho onde ha resquícios de sêmen sem vitalidade para dar passagem a sêmen novo e saudável.

    Quantas vezes é normal se masturbar por semana?
    Não existe uma regra de quantas vezes é natural se masturbar, depende de pessoa para pessoa, apesar de ser um comportamento saudável, pode algumas vezes interferir na sua vida social, a partir do momento que você se sentir prejudicado, o ideal é procurar ajuda médica. O ato de se masturbar pode ajudar na liberação de fantasias sexuais muito reservadas. A pessoa pode vivenciar as coisas que gosta em sua cabeça, e assim ir se descobrindo. Quem se masturba conhece melhor o próprio corpo e os seus desejos, logo, é mais confiante sobre o sexo e fica mais relaxado.

    Para as mulheres –
    Muitas vezes escondidas e envergonhadas, saibam que a masturbação ajuda você a conhecer bem melhor o seu corpo.
    Previne infecções do colo do útero (com a masturbação, o colo se abre movendo o fluido “vermelho” para fora. Isso lubrifica a vagina e expulsa bactérias). Treina os músculos do assoalho pélvico (quando estão fracos, podem causar problemas como incontinência urinária e redução no prazer sexual).

    Bem, então galera, sem drama. Não precisa sair por aí gritando aos sete ventos que você sempre “toca umazinha”, mas se faz, saiba que é algo natural e nada tem a ver com você ter ou não namorada/o, idade ou retardo mental. Muitos ainda sentem-se mais envergonhados ainda quando se mistura isso à hentai.
    É compreensível… no entanto, mangás e animes hentai são representações em 2D de atos de seres humanos reais, portanto se excitar com aquilo não é de forma alguma anormal, afinal, como no mito grego de Pigmaleão (aquele que se apaixonou e tinha relações com a estátua Galatea), é conhecido desde a antiguidade a capacidade humana de se sentir atraído por representações do corpo humano! É natureza, pessoal! Quem já foi ao zoológico decerto deve ter reparado o que os macacos fazem quando vêem uma bela mulher! Ha ha ha, só de lembrar morro de rir!
    Lógico, tudo em excesso prejudica, então se liga! Lugar certo, hora certa e sem remorsos depois, otakada curtidora de hentai! 

    Várias fontes bibliográficas

    Daniel Lima

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosOutros AutoresTextos

    Boa tarde!

    Às mães de todo Brasil
    Ofereço o brilho de um cometa
    Para tal beleza comparar
    Sem jamais pestanejar
    Por Deus abençoada
    Por Maria imaculada
    De seu ventre surge a vida
    Mãe tu és consagrada.Algumas mães são carinhosas e outras são repreensivas, mas isto é amor do mesmo modo, e a maioria das mães beija e repreende ao mesmo tempo. 

    O amor de mãe por seu filho é diferente de qualquer outra coisa no mundo. Ele não obedece lei ou piedade, ele ousa todas as coisas e extermina sem remorso tudo o que ficar em seu caminho.

    Um homem quer a seu amor mais que a ninguém, a sua esposa melhor que a ninguém, mas a sua mãe mais tempo que a ninguém.

    Você sempre será uma criança enquanto tiver uma mãe a quem recorrer. 
      
    Ela não abandona jamais. Não há desgosto capaz de afastá-la da sua cria. Que força. Que poder. Que coragem.

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosOutros AutoresTextos

    A REPRESENTAÇÃO ARTÍSTICA DO FEMININO AO LONGO DO TEMPO 
    A Eterna Vênus ainda persiste, mesmo nos mangás e animes


    As artes gráficas (ilustrações, quadrinhos [e mangás]) ofereceram um campo aberto à uma nova forma de representação de um tipo mais audacioso de mulher, diferente da “grande arte”.
    Em termos de representação do corpo-mulher nos quadrinhos, temos, à partir dos anos 30, ao lado de coadjuvantes submissas, das eternas noivas ou namoradas dos primeiros super-heróis, tivemos também as personagens femininas que souberam se impor num mundo ordenado segundo a visão patriarcal.
    As heroínas das HQs norte-americanas, como a Mulher-Maravilha, Mulher-Gato, são as primeiras lembradas, e notadamente a emergência dos mangás e animes japoneses, onde em muitas obras as personagens mulheres são as centrais e determinantes no enredo. Vários são os mangás onde elas são as “salvadoras do mundo”! Podemos citar as obras ‘Freezing’ dos autores Dall-Young Lim e Kwang-Hyun Kim e ‘Claymore’ do autor Norihiro Yagi.
    Mas, concernente à isso uma coisa está sempre presente nessas obras, desde as épocas mais afastadas da humanidade: a sensualidade feminina. Eva, Lilith e Pandora, as “rebeldes” são tão fortes quanto leoas e tão belas quanto Afrodite e Freya.

    De fato, não é possível imaginar a arte sem a presença da mulher; principal inspiradora de diversos artistas, como pintores, escritores, músicos. Talvez nenhum outro ser inspirou tanto a criação artística como a mulher. É durante a Antiguidade, que a arte grega devota um culto ao corpo feminino, e a arte romana também a valoriza através de esculturas. Na Idade Média, a arte sofre um lapso e quase bane a mulher. A Renascença estabelece um culto pagão à Beleza, cujo maior representante é a mulher que durante o século XVIII as mostra representadas com virtudes do corpo e da alma. Por fim, a mulher moderna, marcada pela presença cada vez maior dela também como criadora da arte, e não apenas representada por esta.

    A ETERNA VÊNUS – A Vênus de Milo, escultura em mármore, representa a deusa grega Afrodite, simbolo do amor sexual e beleza física, data de cerca de 130 a 100 aC e acredita-se seja obra de Alexandros de Antióquia. Quando foi encontrada na ilha de Milos, no Mar Egeu, em 1820, por um camponês, estava quebrada ao meio, as mãos, danificadas e separadas do corpo, mas ainda possuía os braços.
    Alguns estudiosos pensam que ela estava encostada em um pilar porque fazia parte da obra uma coluna com inscrições identificando a escultura como Vênus vencedora do concurso de beleza julgado por Páris.
    Essa escultura-ícone da arte representando a mulher, é incontestavelmente o modelo seguido por gerações de artistas ao longo dos séculos que se seguiram. As feições, os trejeitos, o movimento… ela é um modelo-ícone da escultura ocidental, representa o que uma mulher idealizada deveria ser! É a perfeita representação 3D do subconsciente dos artistas homens ao longo dos séculos de história…

    NO ORIENTE – A Shunga foi uma corrente artística japonesa com temática sexual derivada do movimento Ukiyo-e, produzida durante o Período Edo do Japão, entre o século 17 e 19.
    Os livretos e desenhos eram feitos por artistas de Ukiyo-e, pois conseguiam vender as obras com temática sensual com mais facilidade – até hoje isso se mantém!

    Após o primeiro contato com o Ocidente, através dos portugueses, católicos fervorosos, o Japão passou a experimentar um choque cultural e a consequente assimilação de alguns valores e hábitos dos europeus. E a arte, a sexualidade ocidental não foi exceção à regra. Esculturas e pinturas das exóticas e belas mulheres ocidentais, loiras e ruivas de cabelos cacheados, e até as belas africanas que acompanhavam os ocidentais encantaram os japoneses.
    A partir daí e mais recentemente ainda, voltando a temática dos quadrinhos e mangás, desenvolveu-se uma perfeita junção de dois mundos na representação do corpo feminino nessas obras. Os gêneros hentai e ecchi são famosos e acessados por pessoas do mundo inteiro pela internet, e mostram personagens mulheres com corpos voluptuosos; são as eternas Vênus!
    Sim, só que trasvestidas à maneira japonesa. Como resultado da influência ocidental, os japoneses também evocam a imagem-ícone do corpo feminino idealizado!
    Obras de mangá/anime como Queen’s Blade, Ikkitousen, Koihime Musou, Highschool DxD e tantas outras dos gêneros citados pouco acima são a perfeita representação em arte de desenho da eterna Vênus.

    Eu quando mais jovem, gostava muito de desenhar. Coisa de família, uma de minhas irmãs é artista plástica e pretende se formar na área.
    Infelizmente, eu já abandonei esse hábito de desenhar.
    Em se tratando de animes, meus primeiros traços foram dos Cavaleiros do Zodíaco, logo depois comecei a apreciar a beleza das personagens de Sailor Moon e bingo! Foram as mais desenhadas por mim! Creio, e reparando depois nos meus livros de história da arte, que se tivesse continuado e seguido com os desenhos e consequentemente as pinturas, seriam as mulheres as mais retratadas por mim também como a grande maioria dos artistas. Juro, por Ticiano e sua icônica Vênus de Urbino! Mas o gosto pela leitura, o prazer e a busca por conhecimento me levaram a abraçar a História e a Filosofia! Pretendo me casar com a primeira e fazer da segunda minha amante! No papel, tudo certinho.
    Bem, espero que tenham apreciado esse texto, tive várias fontes de consulta bibliográficas como não poderia deixar de ser. Até a próxima. – Daniel Lima

    Obs: Desde 1821 a famosa escultura da Vênus de Milo (que não é o Milo de CDZ) encontra-se no museu do Louvre em Paris.

    Nas imagens abaixo: “O Nascimento de Vênus” (1483) do pintor italiano Sandro Botticelli e a personagem Sonken Chuubou do mangá/anime Ikkitousen do autor japonês Yuji Shiozaki feita pelo character design Rin-Sin.
    A Vênus do francês Bouguereau e a personagem Rias Gremory da light novel/anime Highschool DxD do autor Ichiei Ishibumi feita pelo character design Junji Goto. A semelhança é notável.

    Veja também esses posts relacionados:

    MúsicaOutros Autores

    Bom dia 🙂
    Como vão?
    Hoje vou postar uma música que adoro do Coldplay.
    Vou dedicar ao meu amigo Mario S. que também curte o som dos caras.
    Espero que curtam 🙂
    Abraços

     

    Coldplay –  Every Teardrop Is a Waterfall ( Cada lágrimaé uma cachoeira)
    I turn the music up, I got
    my records on
    Eu aumento o volume da música, coloco meus discos para tocar
    I shut the world outside
    until the lights come on
    Fecho o mundo lá fora até as luzes aparecerem
    Maybe the streets alight,
    maybe the trees are gone
    Talvez as luzes da cidade, talvez as árvores tenham sumido
    I feel my heart start
    beating to my favorite song
    Sinto meu coração começar a bater com a minha música preferida
    And all the kids they
    dance, all the kids all night
    E todas as crianças dançam, todas as crianças a noite toda
    Until monday morning feels
    another life
    Até que a segunda-feira de manhã pareça outra vida
    I turn the music up
    Eu aumento o volume da música
    I’m on a roll this time
    Dessa vez eu vou curtir
    And heaven is in sight
    E o paraíso já está à vista
    I turn the music up, I got
    my records on
    Eu aumento o volume da música, coloco meus discos para tocar
    From underneath the rubble
    sing a rebel song
    Debaixo das pedrinhas soa uma música rebelde
    Don’t want to see another
    generation drop
    Não quero ver outra geração desistir
    I’d rather be a comma than
    a full stop
    Prefiro ser uma vírgula do que um ponto final
    Maybe I’m in the black,
    maybe I’m on my knees
    Talvez eu esteja no escuro, talvez eu esteja de joelhos
    Maybe I’m in the gap
    between the two trapezes
    Talvez eu seja a lacuna entre dois trapézios
    But my heart is beating and
    my pulses start
    Mas meu coração está batendo e o meu pulso começa
    Cathedrals in my heart
    Catedrais no meu coração
    As we saw oh this light I
    swear you, emerge blinking into
    Enquanto vimos essa luz, eu juro, surgir piscando
    To tell me it’s alright
    Para me dizer que vai ficar tudo bem
    As we soar walls, every
    siren is a symphony
    Quando voamos pelas paredes, toda sirene é uma sinfonia
    And every tear’s a
    waterfall
    E cada lágrima é uma cachoeira
    Is a waterfall
    É uma cachoeira
    Oh
    Is a waterfall
    É uma cachoeira
    Oh oh oh
    Is a is a waterfall
    É uma cachoeira
    Every tear
    Cada lágrima
    Is a waterfall
    Uma cachoeira
    Oh oh oh
    So you can hurt, hurt me
    bad
    Então você pode me ferir, pode me machucar
    But still i’ll raise the
    flag
    Mas eu ainda erguerei a bandeira
    Oh
    It was a wa wa wa wa
    wa-aterfall
    Foi uma cachoeira
    A wa wa wa wa wa-aterfall
    Uma cachoeira
    Every tear
    Cada lágrima
    Every tear
    Cada lágrima
    Every teardrop is a
    waterfall
    Cada lágrima é uma cachoeira
    Every tear
    Cada lágrima
    Every tear
    Cada lágrima
    Every teardrop is a
    waterfall
    Cada lágrima é uma cachoeira 

    Veja também esses posts relacionados:

    1 2 3 4 5 15
    instagram
    Translate »