• Categorias

  • "Transbordando sentimentos puros em palavras"

    Categoria: Honorato

    HonoratoParceriasResenha

    Olá,
    Como vão?
    Hoje volto a postar uma resenha para vocês!
    Agradeço mais uma vez a nossa parceira Universo dos Livros pela cortesia 🙂
    Espero que gostem 🙂

    O ARTÍFICE

    SINOPSE
    Em dias de tempestade, um assassino que mata através de armadilhas extremamente elaboradas vem enganando a polícia londrina numa série de crimes inusitados. Haryel Kitten é um detetive inteligente, prático e muito dedicado ao seu trabalho, que agora tem o desafio de desvendar o que há por trás desse mistério.
    Mas será que há forças sobrenaturais agindo? Detalhes dos crimes permanecem obscuros, o serial killer, apelidado pela mídia de Artífice, faz com que Haryel trilhe um caminho sem volta. Quanto mais ele se aprofunda na investigação, menos compreende o que está acontecendo.
    O detetive fará tudo que estiver ao seu alcance para montar esse quebra-cabeça, mesmo que sua própria vida corra perigo…

    MINHA RESENHA
    A história se desenrola em Londres. Um serial killer frio e calculista que sempre comete seus crimes a noite e em dias de chuva é o vilão perseguido pelos detetives Haryel, seu parceiro Paul e pela policia Londrina.
    Este assassino é um daqueles bem metódicos mesmo, ele não planta uma armadilha mas várias já antevendo os passos que a vitima tomaria tentando escapar da morte. Ele quer ter certeza, ver com os próprios olhos sua vitima agonizando.
    Uma das peças chaves da investigação é um colar bem antigo com um desenho taoísta (Taoísmo é filosofia de vida e uma religião chinesa milenar, na qual o ser humano deve viver em harmonia com a natureza, pois faz parte dela – Google me ajudou nesta)
    Para você entender como e porque o assassino age você vai precisar entender suas razões – ai o taoísmo entra.
    Por causa deste detalhe, um monge – o Mestre Ch`na – entra em cena e é peça importante no desenrolar da história (mesmo ele fazendo pouco caso em ajudar)

    Certos pontos na leitura é meio cansativo, confesso, você lê sobre as mortes acontecendo e a investigação parece estagnada. Mas isso de investigação, mistérios, uma cultura que eu não tinha tanto conhecimento vão se juntando e dando forma.
    E o final em si…. cara, é bem surpreendente. Porém, o assassino para quem for ligando os pontos é descoberto pelo leitor com uma antecedência ( quem leu muito Sherlock Holmes e Agatha como eu adora estes jogos de adivinhar quem matou né?!)

    No geral, indico a obra sim, é uma leitura interessante com 240 páginas, além de ser de um autor nacional (vamos valorizar o que é daqui também!)

    OBS.: Ficou bem resumido esta resenha porque tentei ao máximo não dar spoilers.

    DADOS BIBLIOGRÁFICOS

    Autoria: Tony Ferraz
    ISBN-13: 9788579307133
    ISBN-10: 8579307139
    Ano: 2014
    Páginas: 240
    Idioma: Português
    Editora: Universo dos Livros
    Onde Comprar:
    Submarino
    Amazon

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Lembranças minhas

    março 02, 2019 • Honorato, Sandro

    Olá,
    Como vão?
    Este texto foi finalizado no final do ano passado (15/11/2018).
    Espero que gostem.
    Abraços

    Lembranças minhas
    Só lembra de mim
    Quando ninguém a faz companhia
    Só lembra dos meus beijos
    Quando outros não lhe tem graça

    Só lembra das provas de amor que fiz
    Quando o atual não te cumpre nada
    Só lembra do que era ser feliz
    Quando as lágrimas lhe inundam

    Só lembra do meu toque
    Quando o frio lhe invade a madrugada
    Só lembra do seu presente
    Quando desperdiçamos um futuro juntos

    Só lembra do meu romantismo
    Quando agora te tratam como mais uma
    Só lembra das minhas poesias
    Quando outro não sabe te descrever

    Só lembra agora de mim
    Quando tem apenas a si mesma
    Só lembrará do seu coração
    Quando perceber que despedaçou o meu.

    AUTOR: HONORATO,Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Talvez

    fevereiro 23, 2019 • Honorato, Sandro

    Olá,
    Como vão?
    A poesia de hoje é de um bom tempo atrás mas como eu gosto de desenterrar as coisas, hoje que vou postá-la.
    Desejo uma excelente semana a todos.

    Talvez
    Talvez, eu já tenha errado com você
    Me desculpa, nunca quis te ver sofrer
    Me desculpe, mas meu coração é idiota
    Me desculpe se o “amor” bateu na minha porta

    Talvez, palavras não representem o que sinto
    Mas você sabe que te amo mais que um amigo
    Te amo há muito tempo e você nem sabia
    Te amo talvez mais do que poderia

    Talvez, você seja a garota certa e eu o cara errado
    Aliás, já estou acostumado
    Acostumado a chorar por “amor”
    Acostumado a lutar contra a dor

    Talvez, o nosso “amor” é impossível
    Talvez, é melhor ficar sozinho
    Prefiro ver você feliz com outro namorado
    A te ver sofrendo ao meu lado

    Talvez, seja melhor do jeito que estamos
    Sim, lógico eu ainda te amo
    Mas também sou realista
    Prefiro minha cruel realidade a este mundo de fantasia.

    AUTOR: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Ela

    fevereiro 16, 2019 • Honorato, Sandro

    Olá,
    Como vão?
    Este poema de hoje foi uma criação minha bem antiga. Pra ser preciso, de 14/11/2012.
    Apesar de curto e simples, é um texto que guardei com muito carinho esperando o momento certo para postá-lo.
    Abraços e cuidem-se

    Ela
    Sorriso que me deixa feliz
    Flor que sempre quis no meu jardim
    Doce perfume que invade a sala
    Toque que me acalma

    Olhar cheio de malicia
    Inocência de menina
    Voz que me deixa encantado
    Dona do abraço apertado

    Beijo que me enlouquece
    Momento que não se esquece
    Luz que ilumina meu dia
    Inspiração para esta poesia

    Beleza sem comparação
    Realidade que era minha imaginação
    Palavras que hoje posso enfim dizer
    Eu Amo Você.

    AUTOR: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Dançarina Fantasma

    fevereiro 02, 2019 • Honorato, Sandro

    Olá,
    Como vão?
    Este texto eu comecei há algum tempo atrás mas só agora finalizei.
    Me inspirei numa pessoa que compartilha o prazer da dança comigo e que, bom, deve ser a musa de vários pretendentes por ai.
    Abraços e boa semana a todos.

    Dançarina Fantasma
    Ela chega de salto alto
    Me paralisa com seu jeito de andar
    Inerte fico apenas a observar
    A minha musa em anonimato

    Senta-se a mesa mais distante
    Como uma caçadora está a procura
    Observa a todos sem pudor ou culpa
    Seus olhos me encontram já em transe

    Seu olhar me intriga
    Levanto silenciosamente atravessando o salão
    Passos firmes, ouvindo minha própria respiração
    Estendo-lhe a mão: “sou sua oferenda esta noite”

    Entre várias duplas, nós formamos um casal
    Minto. Ela tem o controle de tudo
    Atrai inveja das mulheres e deixa os homens mudos
    Sensação de impotência sem igual

    Puxo-a para perto de mim
    Minha mente tenta evitar o inevitável
    Mas já estou em contato com teus doces lábios
    Como algo tão simples me deixa assim (feliz) ?

    Nossos corpos ali tão colados
    Me faziam esquecer da verdade
    Tê-la em meus braços é apenas uma miragem
    Um sonho para muitos lunáticos

    Desejaria ao menos outra chance
    Quem sabe um dia não vire para sempre minha amada
    Saudades de ti, minha musa fantasma
    Inspiração deste escritor figurante.

    AUTOR: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Aguanizando

    janeiro 26, 2019 • Honorato, Sandro

    Olá, como vão?

    O texto de hoje foi criado em 2016 depois da tragédia com a barragem em Mariana.

    E, infelizmente, o mesmo aconteceu esta semana agora em Brumadinho – MG.

    Espero que gostem da poesia, apesar de representar um momento difícil para todos nós.

    Abraços

    Aguanizando

    Cadê a vida que aqui existia?

    Mataram nossas riquezas naturais

    Pela simples negligência humana

    Cadê a água que aqui passava?

    Lembro-me de tomar banho ali na beira

    Que hoje é um amontoado de lama

    Cadê os surfistas nas ondas de Regência?

    Como o seu jeito leve de viver

    Agora vemos tsunamis de barro

    Cadê o som das redes de pesca?

    As iscas que são jogadas agora

    Só trazem lágrimas, tristeza e dejetos

    Cadê a venda dos ribeirinhos?

    Famílias inteiras passam fome

    Enquanto acionistas e presidentes se esbaldam por ai

    Cadê o cheiro suave daqui?

    Cadê o sabor daqui?

    Devolvam nosso rio doce!

    Cadê a voz me acordando deste pesadelo?

    Enquanto isso,vamos aguanizando

    Assistindo a justiça escorrer rio abaixo.

    AUTOR: HONORATO,Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    1 3 4 5 6 7 36
    instagram
    Translate »