Blogger Widgets

A REPRESENTAÇÃO ARTÍSTICA DO FEMININO AO LONGO DO TEMPO 
A Eterna Vênus ainda persiste, mesmo nos mangás e animes

As artes gráficas (ilustrações, quadrinhos [e mangás]) ofereceram um campo aberto à uma nova forma de representação de um tipo mais audacioso de mulher, diferente da "grande arte".
Em termos de representação do corpo-mulher nos quadrinhos, temos, à partir dos anos 30, ao lado de coadjuvantes submissas, das eternas noivas ou namoradas dos primeiros super-heróis, tivemos também as personagens femininas que souberam se impor num mundo ordenado segundo a visão patriarcal.
As heroínas das HQs norte-americanas, como a Mulher-Maravilha, Mulher-Gato, são as primeiras lembradas, e notadamente a emergência dos mangás e animes japoneses, onde em muitas obras as personagens mulheres são as centrais e determinantes no enredo. Vários são os mangás onde elas são as "salvadoras do mundo"! Podemos citar as obras 'Freezing' dos autores Dall-Young Lim e Kwang-Hyun Kim e 'Claymore' do autor Norihiro Yagi.
Mas, concernente à isso uma coisa está sempre presente nessas obras, desde as épocas mais afastadas da humanidade: a sensualidade feminina. Eva, Lilith e Pandora, as "rebeldes" são tão fortes quanto leoas e tão belas quanto Afrodite e Freya.

De fato, não é possível imaginar a arte sem a presença da mulher; principal inspiradora de diversos artistas, como pintores, escritores, músicos. Talvez nenhum outro ser inspirou tanto a criação artística como a mulher. É durante a Antiguidade, que a arte grega devota um culto ao corpo feminino, e a arte romana também a valoriza através de esculturas. Na Idade Média, a arte sofre um lapso e quase bane a mulher. A Renascença estabelece um culto pagão à Beleza, cujo maior representante é a mulher que durante o século XVIII as mostra representadas com virtudes do corpo e da alma. Por fim, a mulher moderna, marcada pela presença cada vez maior dela também como criadora da arte, e não apenas representada por esta.

A ETERNA VÊNUS - A Vênus de Milo, escultura em mármore, representa a deusa grega Afrodite, simbolo do amor sexual e beleza física, data de cerca de 130 a 100 aC e acredita-se seja obra de Alexandros de Antióquia. Quando foi encontrada na ilha de Milos, no Mar Egeu, em 1820, por um camponês, estava quebrada ao meio, as mãos, danificadas e separadas do corpo, mas ainda possuía os braços.
Alguns estudiosos pensam que ela estava encostada em um pilar porque fazia parte da obra uma coluna com inscrições identificando a escultura como Vênus vencedora do concurso de beleza julgado por Páris.
Essa escultura-ícone da arte representando a mulher, é incontestavelmente o modelo seguido por gerações de artistas ao longo dos séculos que se seguiram. As feições, os trejeitos, o movimento... ela é um modelo-ícone da escultura ocidental, representa o que uma mulher idealizada deveria ser! É a perfeita representação 3D do subconsciente dos artistas homens ao longo dos séculos de história...

NO ORIENTE - A Shunga foi uma corrente artística japonesa com temática sexual derivada do movimento Ukiyo-e, produzida durante o Período Edo do Japão, entre o século 17 e 19.
Os livretos e desenhos eram feitos por artistas de Ukiyo-e, pois conseguiam vender as obras com temática sensual com mais facilidade - até hoje isso se mantém!

Após o primeiro contato com o Ocidente, através dos portugueses, católicos fervorosos, o Japão passou a experimentar um choque cultural e a consequente assimilação de alguns valores e hábitos dos europeus. E a arte, a sexualidade ocidental não foi exceção à regra. Esculturas e pinturas das exóticas e belas mulheres ocidentais, loiras e ruivas de cabelos cacheados, e até as belas africanas que acompanhavam os ocidentais encantaram os japoneses.
A partir daí e mais recentemente ainda, voltando a temática dos quadrinhos e mangás, desenvolveu-se uma perfeita junção de dois mundos na representação do corpo feminino nessas obras. Os gêneros hentai e ecchi são famosos e acessados por pessoas do mundo inteiro pela internet, e mostram personagens mulheres com corpos voluptuosos; são as eternas Vênus!
Sim, só que trasvestidas à maneira japonesa. Como resultado da influência ocidental, os japoneses também evocam a imagem-ícone do corpo feminino idealizado!
Obras de mangá/anime como Queen's Blade, Ikkitousen, Koihime Musou, Highschool DxD e tantas outras dos gêneros citados pouco acima são a perfeita representação em arte de desenho da eterna Vênus.

Eu quando mais jovem, gostava muito de desenhar. Coisa de família, uma de minhas irmãs é artista plástica e pretende se formar na área.
Infelizmente, eu já abandonei esse hábito de desenhar.
Em se tratando de animes, meus primeiros traços foram dos Cavaleiros do Zodíaco, logo depois comecei a apreciar a beleza das personagens de Sailor Moon e bingo! Foram as mais desenhadas por mim! Creio, e reparando depois nos meus livros de história da arte, que se tivesse continuado e seguido com os desenhos e consequentemente as pinturas, seriam as mulheres as mais retratadas por mim também como a grande maioria dos artistas. Juro, por Ticiano e sua icônica Vênus de Urbino! Mas o gosto pela leitura, o prazer e a busca por conhecimento me levaram a abraçar a História e a Filosofia! Pretendo me casar com a primeira e fazer da segunda minha amante! No papel, tudo certinho.
Bem, espero que tenham apreciado esse texto, tive várias fontes de consulta bibliográficas como não poderia deixar de ser. Até a próxima. - Daniel Lima

Obs: Desde 1821 a famosa escultura da Vênus de Milo (que não é o Milo de CDZ) encontra-se no museu do Louvre em Paris.

Nas imagens abaixo: "O Nascimento de Vênus" (1483) do pintor italiano Sandro Botticelli e a personagem Sonken Chuubou do mangá/anime Ikkitousen do autor japonês Yuji Shiozaki feita pelo character design Rin-Sin.
Vênus do francês Bouguereau e a personagem Rias Gremory da light novel/anime Highschool DxD do autor Ichiei Ishibumi feita pelo character design Junji Goto. A semelhança é notável.




0 Pensamentos: