Blogger Widgets

Reflexões sobre Razão e Sensibilidade

Livros sempre me induzem à reflexões. Principalmente quando se trata da minha querida Jane Austen. E, enquanto lia Razão e Sensibilidade, passei a ver uma critica fortíssima à mim mesma. Eu me vi nos defeitos de Elinor e Marianne.
A começar com Marianne, a "sensibilidade". Ela é uma jovem de dezesseis anos, apaixonada pelas artes e exigente em relação ao amor. Apesar de ser nova, crê-se madura e de opiniões corretas; é teimosa, de imaginação fértil e se entrega totalmente as suas emoções. E eu tenho um pouco disso, eu sou de moldar o meu par perfeito e, quando encontro alguém que se encaixe na maioria das exigências, dou asas a minha imaginação e, em seguida, passo a acreditar em um belo final feliz.
Evidentemente, isso só me causou decepções. Com o tempo, passei a dar valor aos defeitos, à procurá-los, à gostar deles. Eu já não acredito em pessoas perfeitas, e não confio naquelas que aparentam ser, embora continue com algumas exigências. Infelizmente, exigências até com os defeitos.
Uma das passagens mais criticas do livro é quando Marianne quase definha por causa da sua desilusão amorosa; sou, de certo modo, assim. Eu me entrego de corpo e alma as minhas emoções, mas em segredo, como Elinor. Tal reflexão me lembrou de uma frase da Natália Klein: "eu seria uma suicida nata se não fosse o meu egocentrismo exacerbado. Eu sou boa demais para morrer, seria um desperdício."
O que me traz a Elinor, a "razão". Ela é uma jovem de dezenove anos que, por ter mais juízo que o resto da sua família, se vê obrigada a resolver todos os seus problemas e a "carregar o mundo" sobre os seus ombros. Ela procura sempre a lógica em tudo, supondo que isso apaziguaria todas as suas emoções.
Eu, por ser a filha mais velha, sempre tive responsabilidades e me vejo na obrigação de ser madura para poder cumpri-las. Tento ser adulta antes do tempo, me forço a ser um bom exemplo, como Elinor. Isso te impede de aproveitar as etapas da vida, no caso dela, o amor e a desilusão porque tinha uma Marianne deprimida. Ela teve de trancar tudo dentro de si para não deixar a família mais preocupada, tendo como único refúgio a razão, que lhe sustenta.
Com este livro, acho que Austen quis passar isto: você não deve ser nenhum extremo, tudo em exagero é ruim. Você deve ser racional, mas têm de se permitir sentir; deve ter exigências quanto ao caráter e não segundo os seus preconceitos; ter emoções, mas não se deixar guiar por elas. Em suma, um equilíbrio entre razão e sensibilidade.

Samyle S.

21 Pensamentos:

  1. Morro de vontade de ler os livros da Jane Austen. Parecem ser completamente maravilhosos. *-*Espero ter oportunidade em breve.
    Beeeijos

    Marina Oliveira - Distribuindo Sonhos

    ResponderExcluir
  2. OI Sandro
    Esse livro foi que inspirou o filme ?
    Porque se for deve ser perfeito mesmo amei o filme

    beijos querido e ótima semana

    http://jhdocemel.blogspot.com/  

    ResponderExcluir
  3. Não li esse ainda, mas quero muito ler... Orgulho e Preconceito é meu livro preferido!!!

    ResponderExcluir
  4. não li ainda, só lembro que li ''Alvares de azevedo - noite na taverna'' (que é muito foda, li e reli duas vezes) - As cronicas de clarice L. - um livro que chama poliana, mas não lembro o autor.. 
    Sou muito chata pra livro, tem que me chamar atenção e livros com palavras muito difícil acho mega broxante. .. Então, mudando de assunto >> vc fez umas citações que despertou curiosidade =)

    beijos, Sandro H. 
    bom comecinho de semana

    Trollando mesmo

    ResponderExcluir
  5. Nunca li os livros de Jane Austen, mais desejo muito,
    são muito falados, as criticas são ótimas mesmo..
    Eu tb sou meio assim, deixo minha imaginação rolar,
    só que as vezes agente quebra a cara com aquele principe..
    é complicado...
    Agora nem quero pensar em amor, quero pensar em mim
    E se tiver que vir, que venha do jeito que tiver q ser..
    Adorei ler sobre esta autora, aprendi um pouco mais

    Tem resenha no blog
    Beijos
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Samyle!
    A Jane Austin realmente nos leva a questionamentos, principalmente pela época em que escreveu os livros, bem a rente de seu tempo.

     

    Não há satisfação maior do que aquela que sentimos quando
    proporcionamos alegria aos outros. (M. Taniguchi)


     


    Boa semana!!


     


    Blogueiras Unidas  1275!


    Luz e paz!


    Cheirinhos        


    Rudy


    BLOG ALEGRIA DE VIVER
    E AMAR O QUE É BOM!


    ResponderExcluir
  7. Hey *-*

    Jane é uma diva mesmo, qualquer livro dela faz isso com a gente, refletir e refletir. Eu concordo com você, acho que temos que buscar um meio termo entre a razão e o sentimento para viver bem.

    Beijos,http://pepperlipstick.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Samyle,
    gostei muito do teu post.
    Amo Jane Austen, e sempre releio os livros dela.
    E confesso que achei interessantíssima sua análise, eu nunca tinha pensado por esse lado, mas acho que vendo assim, tenho muito da Elinor também.
    Sou cheia de tomar as dores do mundo sobre as costas e esquecer do que sinto , e isso muitas vezes costuma machucar bastante.
    Excelente post !

    Um beijo,
    Uma linda semana pra ti.
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    Att.

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto de hoje!
    Sempre me faz pensar sobre tantos assuntos!

    Sandrinho, adorei ver a bola não entrar para a porcada, kkkEles merecem ser rebaixados, para nossa alegria, kkkk


    Big beijo!
    Boa semana

    ResponderExcluir
  10. Adorei o seu post. Com certeza a Austen é uma autora que nos faz refletir sobre diversos assuntos e a conclusão que você chegou foi a mesma que eu cheguei lendo o livro. ;D

    Um beijo, Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  11. uau sensacional o post o texto esta incível. já li alguns livros dela e acho ela sensacional principalmente quando se fala sobre emoções. 
    Da uma passadinha no meu blog ?         -> Estilo 4 UAbraçãoNão deixe de conferir... Divulgue seus sorteios | Ganhe uma incrível camisa KNT

    ResponderExcluir
  12. Muito boa reflexão. A gente tem que aprender a achar esse equilibrio, e não é nada fácil. Só com experiencia conseguimos ... Não é impossivel, né? XD

    http://help-adolecentro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. gostei viu, nao conhecia esse livro. vou procura-lo *--*

    ResponderExcluir
  14. Jane Austen é ótima, nunca consegui terminar de ler um livro dela, mas gosto da escrita.
    Bem interessante o seu post, buscar o meio termo é essencial.
    Bjuxxx

    ResponderExcluir
  15. Eu sou louca por esse livro da Jane Austen, nunca comprei pra ler :\
    Achei interessantíssimo teu post, Samyle!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Gostei demais, ja quero!!

    http://shelikesrockn-roll.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. É tanto elogio da Jane, que eu não sei mais o que fazer rsrsr ... nunca li nada dela e to doidinho para comprar, mais eo din din? rsrs

    David - Leitor Compulsivo

    ResponderExcluir
  18. Parabens , adorei ;

    http://detudoumpouco04.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Achei bem bonito. Memso. Fazia tempos que eu não vinha até aqui.


    ☠ ‏Vitamina de Pimenta ☠

    ResponderExcluir
  20. Maneiro o texto da Samyle, :D
    pô,fazia tempo que não vinha aqui ;x

    ResponderExcluir