• Categorias

  • "Transbordando sentimentos puros em palavras"

    Posts arquivados em: Mês: julho 2012

    OutrosResenha

    Olá 🙂
    Hoje vou postar uma resenha de um livro que li recentemente e adorei…
    Espero que gostem >.<

    SINOPSE:
    Inglaterra, 1947. A Europa encontra-se devastada pela Segunda Guerra Mundial, assim como o coração de Anny. A garota de oito anos vê seu mundo desmoronar ao receber a notícia de que não poderá mais viver com os pais e terá que se mudar de casa levando pouco mais que seu tabuleiro de xadrez. Tudo parecia um pesadelo, até que surge Pepeu, um jovem misterioso que mudará para sempre a vida de Anny, levando-a a aprender sobre o mundo e a viver momentos emocionantes sem sair dos canteiros de seu pequeno jardim. Ao lado de anjos que são colocados em sua jornada, a doce menina aprende a enfrentar as dificuldades através de lições de abnegação, fé e amor verdadeiro. 
    MINHA RESENHA
       A história toda
    gira em torno de uma garotinha. Não, não é só mais uma garotinha…
       Anny é uma
    garotinha de 8 anos que mora em uma casa grande e confortável em algum lugar da
    Inglaterra. Falando nisso, a casa é o único lugar que ela conhece em todo o
    mundo, pois seus pais nunca a deixaram ir a uma escola, por exemplo. Aliás,
    seus pais são um capitulo a parte, pois eles nunca disseram sua profissão e
    estavam sempre em viagens a trabalho retornando apenas aos finais de semana
    para ver Anny. Ela não questionava isso (sempre que questionava tinha respostas
    vagas)
    e além do mais ela os amava mais que tudo no mundo.
       Mas sua vida começa
    a mudar quando seus pais tem que se afastar por muito mais tempo deixando-a os
    cuidados dos vizinhos Jane e Hermes. Assim, sobre os cuidados de uma família
    diferente ela é tratada de um modo rude e passa a viver como prisioneira (como
    se já não fosse antes)
    .
       Apesar das
    adversidades que a vida lhe impõe, ela apresenta um amadurecimento incrível e
    com um coração enorme ela sempre enxerga o lado bom e bonito da vida quando
    muitos no lugar dela não fariam o mesmo. Assim, ela conhece pessoas
    maravilhosas como Pepeu, Nicole, Frank, George, Desiré e enfim se aproxima do
    senhor Hermes. Cada personagem tem uma história de vida bem diferente mas tenho
    certeza que quem ler vai se ver em um pouquinho de cada.
       Eu não sei se sou a
    pessoa certa para descrever Anny, pois ela é tudo que eu de certa forma não sou
    (não era)… ela sempre tem fé em dias melhores,ela conhece e ensina um amor
    verdadeiro a todos que cruzam seu caminho…
      E bom,quando ela
    sorria eu sorria junto,quando ela sonhava era impossível não sonhar junto e
    quando ela chorava..bem,confesso que chorei muito,muito mesmo com a história
    mas saibam que nem todas as lágrimas foram de tristeza ok?
      Recomendo a todos
    Xadrez pois com certeza mudou o jeito de encarar a vida, as coisas ao meu
    redor,a dar valor a coisas que antes eu não dava importância,enfim,me
    (re)ensinou a viver.
      Deixo um parágrafo
    em especial a Fabiane Ribeiro.
      Agradeço a chance de
    ler sua obra – não foi a primeira que li pois já li “Corações em Fase
    Terminal”-  e confesso que adorei sua
    sensibilidade com as palavras e você foi bem criativa na criação dos
    personagens e no enredo.
       Você já virou um dos
    meus autores favoritos ao lado de Sir Arthur Conan Doyle ( Escritor que deu
    vida ao “Sherlock Holmes”) e ao lado de J.R.R. Tolkien ( Autor de “O Hobbit” e Trilogia “Senhor do
    Anéis”).
       Espero ansioso para
    ler “A Gente Ama, A Gente Sonha” e desejo mais e mais sucesso a ti.
    Abraços a todos que leram a resenha (sei que não é meu forte,
    mas estou tentando melhorar né? :p )

    OBS:
      Fabiane mudou de Editora,assim,”Xadrez” ganhou nova capa:
    Você pode comprar clicando Aqui
    Mais informações:

    Veja também esses posts relacionados:

    HonoratoPoesia

    Promessas

    julho 18, 2012 • Honorato, Sandro

    Bom dia 🙂
    Como vão?
    Hoje vou postar um dos meus textos mais recentes e tal…
    Não tenho muito o que descrever,o texto já diz tudo >.<
    Abraços

    Promessas
    Lembro que você me prometeu luz
    E hoje me encontro na escuridão
    Lembro que você me prometeu paz
    Mas vejo que conflitos acabaram
    com nossa relação
    Lembro que você me prometeu boas lembranças
    Mas acho que saudades não é uma delas
    Lembro que você me prometeu o paraíso
    Mas hoje me sinto em meio às trevas
    Lembro que você me prometeu alegria
    E hoje estou com essa tristeza que nunca passa
    Lembro que você me prometeu o “para sempre”
    Mas como diz a canção, o “pra sempre” sempre acaba
    Lembro que você me prometeu carinho
    E ódio é o que restou
    Lembro que você me prometeu seu coração
    Mas de nada adianta um sem amor.
    AUTOR: HONORATO, Sandro.

    Veja também esses posts relacionados:

    OutrosSamyle S.Textos

    As pessoas se iludem muito sobre o amor, eu mesma me iludo por querer ás vezes, e se esquecem que ele é algo mais complexo do que aquilo que vemos no cinema, onde o final feliz é certo. Sabe, o amor existe sim, é um vinculo tão forte que é capaz de unir duas pessoas de uma forma belíssima.
    Não obstante, é necessário entender que cada um o sente de maneira diferente, o demonstra à seu modo também. Nisso, entra aquele velho problema que muitos tem, inclusive eu, de criar expectativas, imaginar cenas  românticas dignas de filme e manter a esperança de que tais coisas se realizarão. Sem querer, criamos um esteriótipo de amor que queremos receber.
    E você não é o único a moldar o seu esteriótipo, a outra pessoa também vai, e este amor não será igual ao seu.  Isto não significa que seja pior, menor ou melhor, é apenas diferente.
    Ainda será amor, é esta mesma emoção, que é demonstrada de modo diferente porque é sentida por pessoas distintas.

    Precisamos entender que não importa o que façamos, 
    ninguém é igual a ninguém, até no modo de sentir.


    *-*-*
    Estou de volta! Mesmo depois de tanto tempo sem postar aqui…
    Espero que tenham gostado do texto que trouxe hoje,
    veja mais em Florescer e Palavrear

    Veja também esses posts relacionados:

    MúsicaOutros

    Olá 🙂
    Hoje dia 13 de julho é comemorado o Dia Int. do Rock 🙂
    Vou postar uma música do Nirvana que é um clássico dos caras e tenho certeza que todos já ouviram >.<
    E cara,sinto saudades do Nirvana…bons tempos do Rock.
    Abraços  e cuidem-se

    Nirvana – Smells Like Teen
    Spirit – (Cheira Como Espírito Adolescente)
    Load up on guns, bring your friends
    Carregue suas armas, traga seus
    amigos
    It’s fun to lose and to pretend
    É
    divertido perder e fingir
    She’s over bored and self assured
    Ela
    está chateada e autoconfiante
    Oh, no, I know a dirty word
    Ah, não, eu sei um palavrão
    Hello, hello, hello, how low
    Olá, olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello
    Olá,
    olá, olá
    With the lights out it’s less dangerous
    Com as luzes apagadas é menos
    perigoso
    Here we are now, entertain us
    Aqui nós estamos agora, nos divirta
    I feel stupid and contagious
    Eu me sinto estúpido e contagioso
    Here we are now, entertain us
    Aqui nós estamos agora, nos divirta
    A mulatto, an albino
    Um
    mulato, um albino
    A mosquito, my libido, yeah, hey, yay
    Um
    mulato, um albino
    I’m worse at what I do best
    Sou o pior no que faço de melhor
    And for this gift I feel blessed
    E por este presente eu me sinto
    abençoado
    Our little group has always been
    Nosso
    pequeno grupo sempre foi
    And always will until the end
    E sempre será até o fim
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello
    Olá,
    olá, olá
    With the lights out it’s less dangerous
    Com as luzes apagadas é menos
    perigoso
    Here we are now, entertain us
    Aqui nós estamos agora, nos divirta
    I feel stupid and contagious
    Eu me sinto estúpido e contagioso
    Here we are now, entertain us
    Aqui nós estamos agora, nos divirta
    A mulatto, an albino
    Um mulato, um albino
    A mosquito, my libido, yeah, hey, yay
    Um
    mulato, um albino
    And I forget, just why I taste
    E eu esqueço, só por isso que eu
    provo
    Oh, yeah, I guess it makes me smile
    Ah, sim, eu acho que isso me faz
    sorrir
    I found it hard, it’s hard to find
    Eu achei difícil, é difícil de
    encontrar
    Oh, well, whatever, nevermind
    Ah, bem, tanto faz, não importa
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello, how low
    Olá,
    olá, olá, que baixaria
    Hello, hello, hello
    Olá,
    olá, olá
    With the lights out it’s less dangerous
    Com as luzes apagadas é menos
    perigoso
    Here we are now, entertain us
    Aqui nós estamos agora, nos divirta
    I feel stupid and contagious
    Eu me sinto estúpido e contagioso
    Here we are now, entertain us
    Aqui nós estamos agora, nos divirta
    A mulatto, an albino
    Um mulato, um albino
    A mosquito, my libido
    Um mulato, meu albino
     A denial, a denial, a denial
    Uma negação, uma negação, uma
    negação
    A denial, a denial, a denial
    Uma negação, uma negação, uma
    negação
    A denial, a denial, a denial
    Uma negação, uma negação, uma
    negação

    Veja também esses posts relacionados:

    EntrevistaMúsicaOutros

    Olá 🙂
    Hoje vou postar uma entrevista que me orgulho muito de ter feito.
    Os entrevistados desta vez são os caras do Dead Fish *—-*
    A banda de Hardcore é daqui do estado e fez 20 anos de carreira e comemoram com o lançamento do”Dead Fish Dvd 20 anos” 

    Abraços e espero

     Pra começar: Porque o nome Dead
    Fish?

      Este nome surgiu depois que mudamos
    o nome da banda de “Stage dive” para “Dead Fesh Fish” e isso foi ainda em 93
    quando descobrimos que existiam mais duas bandas com o mesmo nome que tínhamos
    de 91 até 92.
    Não tem nada de especial, o nome
    surgiu no papelzinho e o nome que perdeu era “Bastards aleluiah”.
    Existe uma lenda que o nome é devido
    ao mar de Vitória ser poluído, o que seria interessante mas não é verdade.
     Com 20 anos de estrada vocês
    devem ter muitas histórias para contar. Nos conte uma (ou algumas)  engraçada e outra(s) nem tanto assim.
      Uma engraçada foi uma num show no
    Circo voador no Rio de Janeiro que uma senhorita subiu ao palco com uma camisa
    do Botafogo e mandou um topless na sequência, surgindo ai o lendário show das
    “tetinhas de chocolate”. Uma não tão engraçada mas que no fim tudo deu certo,
    foi o show na nossa cidade Vitória, em que o palco desabou mas, por sorte, era
    bem baixo e ninguém se machucou e no fim virou até uma piada interna.
    Sobre o som que vocês tocam como
    foi o inicio da carreira? A galera comparecia aos shows ou era um estilo
    “descriminado”?
      Começamos em 1991 em Vitória no
    Espírito Santo e nunca nos sentimos discriminados internamente muito ao
    contrário, mas se trata de um estilo que tem como base ser menos popular.
     O que vocês viram que mudou no
    hardcore nacional desde que vocês começaram?
       Acho que hoje tudo é muito mais
    simples, desde de divulgação, distribuição e produção mas, acredito que os
    caras que se envolvem hoje acabam se envolvendo por menos tempo com a coisa
    toda e também devido a facilidade em ouvir bandas hoje em dia.
     Quais eram as influências de
    vocês ao formarem a banda e quais sãos as influências de hoje em dia?
       Boa parte das influências
    permaneceu, a gente começou por causa do Fugazi,
    7 seconds, Bad Brains, Cólera, Bad
    Religion
    e Public enemy e hoje temos influências de bandas como Propagandhi, Sick of it all, Ataque 77, Good
    riddance
    .
    Pra vocês qual foi o melhor álbum
    que vocês já fizeram e porque este se diferencia dos demais?
      Muita gente gosta do “Sonho médio”
    de 1999, que foi uma fase muito engajada e muito legal dentro da banda caímos
    de vez na estrada e foi o início de uma carreira na estrada mesmo. Eu tenho
    como preferidos dois o “Zero e um” e o último o “Contra todos”, o primeiro
    porque marcou uma virada da banda depois de uma situação muito adversa que era
    o fim do nosso selo e o quase fim da banda, as letras me agrada até hoje e
    também a sonoridade. O segundo porque gostei muito
    da forma como ele foi produzido e como ele saiu espontaneamente.
      Muitos jovens (e inclua-me)
    cresceram ouvindo o som de vocês e se encantando com as letras muitas vezes
    “politizadas”. O que vocês gostam de passar ao publico quando compõem?
      A gente gosta de se agradar
    internamente primeiro e se te agrada também melhor ainda. Quanto a ser
    politizada eu acredito que não conseguiria escrever diferente estando nesta
    banda, à intenção sempre foi chamar a atenção pelas letras também.
      E como são feitas as composições?
       Não existe uma regra para isso mas,
    hoje temos parte das músicas saindo primeiro e depois as letras como um monte
    de gente faz.
    Qual a maior loucura que vocês já
    presenciaram ou ouvir falar de um fã de vocês?
       Geralmente que gosta da banda não é
    tão insana no quesito lidar conosco, eles são mais insanos no show mesmo e ai
    muitas coisas extremas já aconteceram como um stage dive de cima de um mezanino
    bem alto por parte de um jovem.
     Uma música da banda que marcou
    cada um de vocês e por que.
       Uma que me marcou muito é uma banda
    que quase não tocamos que se chama “Perfect party” que foi feita na casa de um
    amigo que vive fora do Brasil e toda vez que tocamos me lembro dele.
      Nos conte um sonho que vocês já
    realizaram e outro que pretendem realizar?
      Viver da banda foi o maior deles
    acredito, os outros eram tocar com bandas que tanto gostamos uma delas o Bad
    Religion algumas vezes.
     Toda banda é uma família e toda
    família tem suas divergências. Como é a convivência entre vocês?
     Hoje em dia é muito tranqüila,
    viramos uns tiozinhos até bem calmos mas, nem sempre foi assim, lá atrás no fim
    dos 90 e começo dos 2000 foram bem complicadas as situações mas, hoje vendo de
    longe vejo que também era nossa idade e a forma que escolhemos viver naquele
    tempo, quase 100% do tempo na estrada.
    Sobre o DVD que será lançado, o
    que dá pra adiantar, como vocês pretendem divulgar, de onde surgiu a idéia…
     Ele já saiu e faremos o primeiro
    show de lançamento agora em Porto Alegre ainda este mês.
    Queremos divulgar massivamente como
    sempre fizemos tocando nas cidade e vendendo ele nos shows.
    A idéia surgiu ainda no começo do
    ano passado mas só conseguimos realizar na data super especial de 11/11/11.
     – Deixem um recado pra galera que
    leu a entrevista
      Obrigado pela oportunidade. Valeu!
     Confiram  2 videos direitos do show no Circo Voador

    Para mais informações sobre os caras:
    Site 

    Veja também esses posts relacionados:

    MúsicaOutrosPoesia

    Olá 🙂
    Como vão?
    Hoje vou postar uma música do Cazuza.
    Aliás,nem sei como ainda não poste nada dele por aqui porque eu ouvia muito ele na minha adolescência e tal >.<
    Lembro que cantava essa música na sala de aula…bons tempos kkkkkk
    Abraços e cuidem-se

    Cazuza – O Tempo Não Para
    Disparo contra o sol
    Sou forte, sou por acaso
    Minha metralhadora cheia de mágoas
    Eu sou um cara
    Cansado de correr
    Na direção contrária
    Sem pódio de chegada ou beijo de namorada
    Eu sou mais um cara
    Mas se você achar
    Que eu tô derrotado
    Saiba que ainda estão rolando os dados
    Porque o tempo, o tempo não pára
    Dias sim, dias não
    Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
    Da caridade de quem me detesta
    A tua piscina tá
    cheia de ratos
    Tuas ideias não correspondem aos fatos
    O tempo não pára
    Eu vejo o futuro
    repetir o passado
    Eu vejo um museu de grandes novidades
    O tempo não para
    Não para, não, não pára
    Eu não tenho data
    pra comemorar
    Às vezes os meus dias são de par em par
    Procurando agulha num palheiro
    Nas noites de frio
    é melhor nem nascer
    Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer
    E assim nos tornamos brasileiros
    Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
    Transformam o país inteiro num puteiro
    Pois assim se ganha mais dinheiro
    A tua piscina tá
    cheia de ratos
    Tuas ideias não correspondem aos fatos
    O tempo não pára
    Eu vejo o futuro
    repetir o passado
    Eu vejo um museu de grandes novidades
    O tempo não para
    Não para, não, não pára
    Dias sim, dias não
    Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
    Da caridade de quem me detesta
    A tua piscina tá
    cheia de ratos
    Tuas ideias não correspondem aos fatos
    O tempo não pára
    Eu vejo o futuro repetir o passado
    Eu vejo um museu de grandes novidades
    O tempo não pára
    Não para, não, não pára

    Veja também esses posts relacionados:

    1 2 3
    instagram
    Translate »